Usamos cookies para fornecer os recursos e serviços oferecidos em nosso site para melhorar sua experiência. Ao continuar navegando neste site, você concorda com o uso destes cookies. Leia nossa Política de Privacidade para saber mais.

Como proteger a privacidade do paciente em laboratórios?

Como proteger a privacidade do paciente em laboratórios?

Felizmente, os profissionais de saúde, a equipe de apoio e os próprios consumidores estão agindo juntos para melhorar os resultados de segurança do paciente.

Por meio de iniciativas com foco na segurança, os laboratórios podem melhorar o desempenho da equipe em relação à proteção da privacidade do paciente.

A segurança dos dados do paciente envolve evitar erros, limitar os danos e reduzir a probabilidade de falhas por meio de um planejamento que estimule a comunicação e diminua as taxas de vazamento de informações.

Por isso, se você quer saber mais sobre como proteger a privacidade do paciente em laboratórios, confira o conteúdo que preparamos sobre o tema!

Descubra agora como proteger a privacidade do paciente em laboratórios

Descubra agora como proteger a privacidade do paciente em laboratórios

Profissionais de saúde, pacientes e equipe de apoio compartilham o mesmo objetivo: o melhor resultado de tratamento possível e a proteção da privacidade do paciente.

O conteúdo a seguir fala sobre dicas que alguns laboratórios de análises clínicas implementam para atingir esse objetivo. Acompanhe!

1. Estabeleça um modelo de gestão de segurança

Os profissionais da equipe devem formular diretrizes que determinem o desempenho do sistema de gestão de saúde e segurança laboratorial.

Para incentivar a conformidade com os protocolos de segurança, é importante que os gestores de laboratório incluam todos os líderes e funcionários nos processos de tomada de decisão apropriados e realizem análises regulares de desempenho organizacional.

Revisões regulares fornecem um indicador dinâmico para sabermos se o laboratório alcançou os resultados pretendidos. Além disso, os administradores podem usar essas informações para ajustar as políticas organizacionais conforme necessário.

2. Utilize um sistema de respostas rápidas e seguras

Para ajudar os laboratórios no planejamento de sistemas de respostas rápidas é fundamental que haja profissionais dedicados à atividade.

As equipes que se dedicam a este objetivo constituem uma parte vital de um laboratório. Nossa sugestão é que os laboratórios de análises clínicas determinem a estrutura geral considerando, pelo menos, os seguintes pontos:

  • O status do paciente;
  • Os membros do time;
  • O meio ambiente;
  • O progresso em direção à meta.

Devem ser definidos os modelos de tomada de decisão apropriados para vários cenários, como a avaliação de risco probabilístico e a análise de causa raiz.

3. Certifique-se de que os funcionários conheçam as políticas de segurança

Funcionários e empregadores devem compreender seus papéis na proteção da privacidade do paciente em laboratórios.

Além de treinar cada novo funcionário sobre segurança laboratorial, os gestores devem atualizar os membros da equipe regularmente sobre as mudanças de política relacionadas.

Os funcionários devem compreender as funções envolvidas na defesa da segurança do paciente. Além disso, toda organização deve delinear claramente as políticas e procedimentos de segurança.

Os funcionários devem se sentir seguros para expressar suas preocupações. Portanto, junto com um procedimento claramente delineado para gerenciar e relatar problemas, o treinamento de segurança eficaz inclui a garantia de que os administradores receberão informações com imparcialidade.

4. Desenvolva um plano de conformidade e segurança

Os gestores laboratoriais monitoram e avaliam continuamente como os funcionários seguem as políticas estabelecidas.

Os conselhos institucionais e os conselhos de administração usam essas informações para ajustar as políticas laboratoriais conforme necessário.

Os programas de conformidade beneficiam os laboratórios de análises clínicas e outras organizações de saúde de várias maneiras, incluindo, mas não se limitando a:

  • Construir a confiança do paciente como um laboratório responsável;
  • Desenvolver padrões de conformidade adequados para o paciente e o laboratório;
  • Estabelecer uma estrutura para avaliar a conformidade de funcionários e fornecedores;
  • Manter a integridade das solicitações de planos de saúde;
  • Mitigar ou eliminar atividades ilegais;
  • Promover resultados positivos de tratamento;
  • Fornecer uma alternativa de conformidade centralizada.

Ao desenvolver e manter um plano de conformidade e segurança, os laboratórios de análises clínicas – pequenos ou grandes – promovem ambientes seguros e protegem a privacidade do paciente.

5. Pratique o atendimento centrado no paciente

O atendimento centrado no paciente é um tema quente entre os debates sobre a qualidade do serviço no setor de saúde.

Frequentemente, os gestores utilizam frases de efeito acerca do tema. Na verdade, muitos pacientes vinculam os pagamentos, em parte, ao grau em que as instituições de saúde adotam o atendimento centrado no paciente muito antes do termo existir.

No passado, os defensores da saúde temiam que o conceito pudesse prejudicar os esforços para fornecer tratamentos baseados em evidências. Hoje, no entanto, os defensores do tratamento baseado em evidências veem o atendimento centrado no paciente como uma estrutura crítica para estabelecer e promover os resultados de bem-estar desejados.

6. Comunique informações sobre segurança aos pacientes

Antigamente, os pacientes desempenhavam um papel passivo em suas recuperações e, com vaga compreensão, seguiam os planos de tratamento sem questionar. O mesmo acontecia em relação à proteção de sua privacidade.

Nesse ambiente, os pacientes depositavam confiança absoluta nos profissionais de saúde e equipe de apoio laboratorial. Hoje, no entanto, os profissionais da área entendem que os pacientes instruídos podem ajudar a reduzir as falhas de segurança.

Além disso, com a riqueza de informações disponíveis online, é importante que os pacientes entendam quais fatos se aplicam às suas circunstâncias específicas.

Os pacientes contemporâneos participam cada vez mais de seu próprio planejamento de segurança. Como pacientes educados, eles recebem um tratamento mais seguro, porque os profissionais de saúde e equipe de apoio os prepararam com a capacidade de fazer as perguntas certas e perceber problemas em potencial.

7. Adote um software para gestão laboratorial seguro

Antigamente, o planejamento de um laboratório focava apenas na eficiência operacional em vez da segurança do paciente, designando áreas de trabalho interconectadas. No entanto, o planejamento laboratorial centrado no paciente inclui características estruturais, como informações críticas e locais de recursos padronizados, bem como ferramentas que automatizam a gestão laboratorial e garantem a segurança dos dados sensíveis do paciente.

Pacientes, funcionários e administradores de laboratórios de análises clínicas podem eliminar a maioria dos erros trabalhando com o auxílio de um software para gestão laboratorial seguro.

Proteger a privacidade do paciente em laboratórios de análises clínicas é possível, no entanto, é preciso planejamento, comprometimento e a tecnologia adequada para manter o ambiente seguro para todos.

Gostou de saber mais sobre como proteger a privacidade do paciente em laboratórios? Então não deixe de conferir o conteúdo sobre melhoria contínua para laboratórios: 5 dicas essenciais!

Gostou do texto? Não gostou? Comente abaixo!

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Categorias: