Por que oferecer resultados online em laboratórios de análises clínicas?

Por que oferecer resultados online em laboratórios de análises clínicas?

A automação contribuiu fortemente para revolucionar muitas atividades humanas, proporcionando benefícios inquestionáveis ​​no desempenho das mais diversas atividades.

Os inúmeros avanços das tecnologias de automação também geraram um impacto profundo na organização dos laboratórios de análises clínicas, onde muitas tarefas manuais foram parcialmente ou completamente substituídas por instrumentação automatizada e de gestão de trabalho.

A impressionante expansão da automação dos laboratórios foi fortemente estimulada por um processo contínuo de reorganização dos diagnósticos, onde as instalações dos laboratório estão cada vez mais organizadas em uma rede que abrange laboratórios de apoio que realizam operações de teste e instalações principais, onde grandes volumes de amostras são entregues. Em meio a tudo isso, surge a necessidade de oferecer resultados online.

Quer saber mais sobre por que oferecer resultados online em laboratórios de análises clínicas? Então confira o conteúdo sobre o tema!

Vantagens do uso das tecnologias laboratoriais e da oferta de resultados online em laboratórios de análises clínicas

Vantagens do uso das tecnologias laboratoriais e da oferta de resultados online em laboratórios de análises clínicas

Embora não exista uma definição única, a automação dos laboratórios é geralmente classificada de acordo com a complexidade da integração de instrumentos.

Ela pode variar entre nenhuma automação, todos os analisadores existentes como máquinas independentes, automação parcial de laboratório, por exemplo, desenvolvimento das chamadas ilhas de automação, onde os analistas do laboratório estão interconectados e parcialmente integrados às estações de trabalho pré-analíticas, como na área de trabalho sérica, integrando testes de química clínica e imunoquímica, até a automação total de laboratório, onde a maioria dos analistas realiza diferentes tipos de testes, química clínica, imunoquímica , hematologia, hemostasia e assim por diante, em diferentes matrizes de amostras, por exemplo, sangue total, soro, plasma heparinizado ou citrado, são fisicamente integrados como sistemas modulares ou conectados por linhas de montagem, por exemplo, esteiras, correias e outros tipos de transportadores.

Nos modelos mais amplos da automação, muitas etapas pré-analíticas e pós-analíticas, por exemplo, entrada de amostras, classificação, decapagem, centrifugação, separação, vedação e armazenamento, são executadas automaticamente em estações de trabalho conectadas fisicamente aos analistas e gerenciadas com eficiência por softwares específicos.

Uma pesquisa recente realizada na Itália mostrou que o número de laboratórios que usam automatização parcial ou total se aproxima de 50%, enquanto outro questionário divulgado nos EUA mostrou que quase 70% dos diretores de laboratórios implementaram ou planejam introduzir grandes modelos de automação em suas instalações.

Como é previsível que inovações tecnológicas em andamento, juntamente com um cenário econômico profundamente orientado por políticas de contenção de custos, promovam maior difusão da automação de laboratório em um futuro próximo, fornecemos uma visão geral sobre as vantagens da automação laboratorial e da oferta de resultados online em laboratórios de análises clínicas.

Custos laboratoriais mais baixos

Várias linhas de pesquisas e evidências atestam que um modelo eficiente de automação pode reduzir com sucesso os custos de diagnóstico laboratorial.

O benefício líquido, ou seja, o retorno do investimento, é realmente mais perceptível a longo prazo, depois de atingir o chamado ponto de equilíbrio, quando os custos iniciais mais altos serão compensados.

Basicamente, a principal receita econômica da automação, resultante da fusão de muitas plataformas de diagnóstico em um sistema consolidado, não apenas abrange uma redução da força de trabalho manual, principalmente auxiliar e técnico, necessária para gerenciar testes de alto volume, mas também é atribuível reduzir despesas pré-analíticas e pós-analíticas.

Por exemplo, a consolidação da chamada área de trabalho sérico precisaria realmente coletar um número menor de tubos de sangue para realizar análises diferentes e também exigiria unidades de armazenamento menores para armazenar um número menor de amostras após a conclusão dos testes.

No entanto, a economia é variável, dependendo da solução final de automação adotada e do volume relativo de testes realizados localmente, quanto maior o número de testes, maior a receita econômica consequente da automação de várias etapas do processo total de teste. Esse aspecto pode permitir sugerir ou justificar a adoção de diferentes modelos de automação com base no volume local e na complexidade dos testes.

Diminuição do número de contratações necessárias no laboratório

Diretamente ligada ao ponto anterior, a diminuição do pessoal necessário para a realização de volumes idênticos de testes após a implementação da automatização também produziria menor necessidade de equipe no laboratório.

Um layout otimizado de estações de trabalho integradas impediria de fato que os técnicos se movimentassem várias vezes de um analista até outro, minimizando a distância percorrida pelo pessoal para realizar várias análises em diferentes instrumentações.

Maior eficiência laboratorial

Além dos benefícios de redução de custos, que são especialmente valorizados pelos gestores e administradores, a automatização oferece outras vantagens no ambiente do laboratório, a maioria atribuída ao uso de linhas de montagem personalizáveis, que podem ser organizadas para atender a requisitos específicos de diferentes laboratórios.

Várias linhas de evidência agora demonstram que um laboratório projetado com eficiência pode ser variavelmente eficaz para reduzir o tempo de resposta e, concomitantemente, aumentar a produtividade.

Notavelmente, as modernas linhas de montagem podem transportar um grande número de tubos de sangue e gerenciar em alta velocidade, compensando consideravelmente o transporte manual.

Um exemplo publicado recentemente, mostra que a carga de trabalho de um serviço de laboratório pode ser substancialmente aumentada após a implementação da automação, e que esse volume aumentado de testes também pode ser acompanhado por uma expansão notável do repertório de teste.

Esses objetivos podem ser alcançados essencialmente pela otimização do fluxo de trabalho, abrangendo automaticamente o desvio ou a priorização de amostras entre os diferentes analistas, especialmente quando um deles está sobrecarregado ou cometem algumas falhas técnicas.

Muito compreensivelmente, no entanto, a adoção de um modelo de automação que incorpore várias linhas de diagnóstico, por exemplo, química, clínica, imunoquímica, hematologia, coagulação e até microbiologia, tem um impacto na experiência da equipe.

Além dessa linha, a automação oferece a vantagem adicional de permitir uma combinação de estações de trabalho pré-analíticas modernas com plataformas analíticas.

A antiga instrumentação agora permite check-in, classificação, decapagem, centrifugação, entre outros processos, de forma totalmente automatizada de diferentes tipos e tamanhos de tubos, seguida pela circulação secundária automaticamente rotuladas, superando o desafio de adaptar diferentes analistas a diferentes tipos de tarefas.

Mesmo aqui, no entanto, uma análise preliminar do fluxo de trabalho no laboratório e um monitoramento constante ao longo do tempo parecem críticos para implementar a solução mais eficiente e, eventualmente, corrigir as falhas do sistema.

Isso permitiria identificar e ajustar algumas etapas críticas do gerenciamento de amostras no sistema, otimizando finalmente seu desempenho em termos de gerenciamento de altos volumes e complexidade.

Notavelmente, alguns modelos de automatização agora estão equipados com estações de entrada onde os tubos de sangue podem ser inseridos aleatoriamente à mão ou, mais eficientemente, podem ser conectados fisicamente com sistemas de tubos pneumáticos.

Exceto para tubos de sangue pré-centrifugados, isto é, a qualidade de alguns separadores de gel pode ser inadequada para evitar o vazamento de moléculas de elementos sanguíneos sob a barreira de gel], os módulos de entrada em massa reduzem a classificação manual e economizam tempo.

Por fim, a otimização do fluxo de trabalho mais curto também permitiriam relatar dados mais rapidamente aos médicos solicitantes, reduzindo assim a necessidade de testes urgentes prioritários.

Gerenciamento aprimorado da amostra e rastreabilidade

A tecnologia contribuiu profundamente para melhorar o trabalho e a organização do laboratório.

A comunicação erradicou virtualmente algumas atividades de alto risco conectadas aos dados de transcrição manual e também permitiu reduzir os erros. A geração moderna de instrumentação de laboratório também é equipada com programas de software avançados, permitindo um melhor gerenciamento de amostras.

A definição de regras de decisão com base em critérios predefinidos agora permite a auto verificação de dados, a re-análise automática de amostras com resultados altamente anormais ou suspeitos, bem como o desencadeamento de reflexos e testes complementares, contribuindo para melhorar a qualidade e segurança dos dados de teste de diagnóstico.

A eficiência ao realizar essas atividades é enormemente aumentada em laboratórios que utilizam a automação, onde o gerenciamento de amostras no sistema é mais eficiente, ou seja, todas as amostras podem ser armazenadas em ambiente on-line, recuperadas e re-analisadas automaticamente horas ou dias após o teste inicial.

Além disso, a integração de diferentes instrumentações permite executar automaticamente muitos tipos diferentes de testes, planejando testes automáticos ou adição de um, usando diferentes matrizes de amostra.

Por exemplo, a consolidação de analistas hematológicos na área de trabalho sérica pode permitir a definição de regras automáticas para solução de problemas de anemia, por exemplo, geração de ferritina, transferrina, ácido fólico, vitamina B, creatinina e outros testes de química clínica quando os valores de hemoglobina estão abaixo do intervalo de referência, e fornecendo assim dados laboratoriais mais completos e oportunos para diagnóstico e tratamento.

Por fim, mas não menos importante, a rastreabilidade das amostras é consistentemente aprimorada, mantendo todas as amostras de rotina e estatísticas em um ambiente único, permitindo a rastreabilidade digital de todos os processos aos quais um tubo foi submetido, desde o momento da entrega ao laboratório até o armazenamento após o teste.

Padronização aprimorada para acreditação laboratorial

Manter todas as diferentes fases do processo total de teste sob controle, incluindo atividades extra-analíticas, é um pilar da qualidade total no diagnóstico laboratorial, que também se tornou um requisito obrigatório para a acreditação.

Agora é inegável que a consolidação de diferentes áreas de diagnóstico no mesmo espaço de trabalho exigiria menos esforços administrativos para desenvolver e atualizar procedimentos operacionais padrão (POPs), em que vários procedimentos para gerenciamento de amostras pré-analíticas e pós-analíticas podem ser mesclados quando muitos analistas são integrados no mesmo modelo de automação.

Notavelmente, a automação também parece rentável para muitos aspectos relacionados à qualidade analítica, como especificações de qualidade dos ensaios, rastreabilidade dos calibradores, melhor qualidade e estabilidade dos reagentes, além de outros aspectos que os profissionais de laboratório devem avaliar além do planejamento técnico antes a adoção de uma solução específica.

A maior precisão e repetibilidade ao longo de todo o processo de teste possibilitado pela automação de operações também concederiam benefícios primordiais em termos de padronização, simplificando assim os procedimentos de certificação e acreditação.

Qualidade de teste aprimorada

A padronização e harmonização são duas questões cruciais no diagnóstico laboratorial. A maioria dos esforços realizados nas últimas décadas tem sido essencialmente focada na parte analítica do processo total de testes, enquanto recentemente foi dada grande atenção às atividades pré-analíticas e pós-analíticas.

Convencionalmente, a automação permite assumir o controle de muitas atividades manuais manuais, ou seja, seleção, carregamento, centrifugação, decapagem, vedação, entre outras, de seres humanos, permitindo assim aliviar diferenças substanciais entre pessoas e de amostra para amostra.

Essa padronização do processo trará benefícios tangíveis à qualidade total de teste, reduzindo assim o risco de erros de diagnóstico, especialmente aqueles que emergem das atividades intensivas manualmente da fase pré-analítica.

No entanto, o processo analítico também pode ser realizado com mais segurança e eficiência usando a tecnologia, pois diversas atividades como diluição de amostras com resultados fora da faixa de linearidade ou repouso da amostra quando os resultados são alertados, podem ser realizadas automaticamente, por mais recuperação eficiente de amostras da unidade de armazenamento, sem intervenção manual.

Notavelmente, algumas estações de trabalho pré-analíticas integradas também podem executar automaticamente a avaliação da qualidade para monitorar a integridade da amostra, ou seja, volume de amostra, presença de coágulos ou bolhas, índices de soro e plasma e assim por diante.

Integração mais eficiente dos resultados dos testes

A consolidação de muitas áreas de diagnóstico com o mesmo espaço apresenta benefícios técnicos e organizacionais adicionais.

Os consideráveis ​​avanços da tecnologia agora permitem que a equipe do laboratório navegue e gerencie o fluxo de dados dos sistemas de entrega, analítico e de arquivamento. A interface da maioria dos modelos de sistemas laboratoriais permite integrar uma vasta gama de resultados de testes produzidos por diferentes analistas, mesmo antes dos dados serem transferidos.

Isso não apenas permitiria definir critérios de validação automática melhores, mais complexos e precisos, como também permitiria ao pessoal do laboratório ter uma visão mais ampla dos resultados do paciente, detectando com mais eficiência erros em potencial ou identificando situações críticas que precisariam de comunicação oportuna.

Menor risco biológico para os profissionais do laboratório

A segurança do trabalhador é uma das vantagens mais importantes da automação de operações laboratoriais.

Os sistemas automatizados não apenas removem os operadores do local de trabalho, mas também os protegem contra os riscos de realizar operações biologicamente perigosas e manipular materiais com risco biológico.

Requalificação da equipe e satisfação no trabalho

A minimização do trabalho manual intensivo é uma das principais vantagens da automatização laboratorial, que se traduziria em uma economia líquida de pessoal, técnico e auxiliar, necessário para gerenciar o fluxo de trabalho do laboratório.

Portanto, isso permitiria requalificar a equipe, eliminando parte da mão-de-obra e redefinindo os cargos para tarefas de valor agregado, como avaliação da qualidade ou implementação de novos testes, por exemplo, genômica, proteômica, teranóstica. Liberando então o caminho para a análise personalizada de laboratórios, por exemplo.

Também vale a pena mencionar aqui que a requalificação da equipe pode ser intelectualmente satisfatória, aumentando assim o moral e a produtividade de todos.

Portanto, após identificar inúmeras vantagens da automação laboratorial e da oferta de resultados online em laboratórios de análises clínicas, não restam dúvidas que a tecnologia laboratorial chegou para transformar para melhor as rotinas e processos nos laboratórios de análises clínicas.

Gostou de saber mais sobre por que oferecer resultados online em laboratórios de análises clínicas? Então não deixe de conferir o conteúdo sobre melhoria contínua para laboratórios: 5 dicas essenciais!

Gostou do texto? Não gostou? Comente abaixo!

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Categorias: