Gestão laboratorial: 4 passos fundamentais

Gestão laboratorial: 4 passos fundamentais

No meio empresarial, independentemente do setor, estabelecer bons parâmetros para a organização das atividades é o que separa os negócios de sucesso daqueles que têm dificuldades de operar com eficiência. No caso dos laboratórios, a lógica é bastante similar, já que uma gestão laboratorial estratégica é a base para uma atuação mais competitiva e produtiva.

Nesse sentido, implementar uma rotina mais inteligente, com base em dados concretos e na utilização da tecnologia é a chave para elevar a qualidade operacional do empreendimento, tornando a sua gestão laboratorial mais estratégica e menos operacional.

Em razão da importância desse tema, listamos 4 passos fundamentais que você pode seguir para tornar a gestão laboratorial mais moderna e consistente. Acompanhe!

A importância da gestão laboratorial estratégica laboratorial

A importância da gestão laboratorial estratégica laboratorial

Nos moldes atuais do mercado, a gestão laboratorial estratégica desponta como um dos expedientes que mais contribui para o alcance dos objetivos de um empreendimento. Gerir corretamente os recursos do negócio há tempos deixou de ser apenas um diferencial e se tornou uma necessidade.

No contexto dos laboratórios, em que a quantidade de processos é bastante grande e as especificidades são inúmeras, é fundamental ter controle sobre todas as atividades desenvolvidas diariamente.

Tarefas como a gestão de pessoas, o atendimento ao público, a manutenção de estoques e o próprio controle sobre os expedientes laboratoriais — exames e análises biológicas — precisam ser muito bem definidas e organizadas, de modo a evitar erros, desperdício e lentidão na entrega dos resultados.

No entanto, para que isso seja possível, é fundamental contar com o apoio de profissionais bem treinados, recursos tecnológicos e metodologias de controle capazes de fornecer aos gestores e líderes todo o suporte informativo para a tomada de decisão.

Conhecer bem os processos, por meio de indicadores precisos e de fácil leitura, otimiza profundamente a rotina do empreendimento — tanto no lado operacional quanto em outras atividades importantes, como o marketing e o atendimento ao público.

4 passos para conquistar o sucesso na gestão laboratorial estratégica

4 passos para conquistar o sucesso na gestão laboratorial estratégica

Na prática, diferentes estratégias podem — e devem — ser utilizadas pelos líderes e gestores de laboratórios. Cada uma delas tem o condão de melhorar a gestão, agregando valor em termos de visibilidade, desempenho, custos e atingimento dos objetivos da empresa. Confira adiante 4 passos para o sucesso na gestão laboratorial.

1. Estabelecer objetivos em curto, médio e longo prazos

Existe uma máxima que diz que nenhum vento sopra a favor de quem não sabe para onde ir. Partindo dessa premissa, reforçamos a importância do planejamento e, mais do que isso, do estabelecimento de objetivos em curto, médio e longo prazos.

É preciso saber para onde impulsionar a empresa, definindo objetivos e prazos compatíveis com a realidade do negócio e com os objetivos propostos. Uma gestão laboratorial mais palpável da empresa, com base em metas e objetivos concretos gera clareza para as atividades, possibilitando aos envolvidos saber o que deve ser feito para que cada objetivo seja alcançado no momento certo.

2. Definir uma estrutura organizacional que contribua com esses objetivos

Para que as metas e os objetivos sejam concretizados tal como foram pensados, é imprescindível definir uma estrutura organizacional que contribua com esse tipo de planejamento. Isto é, toda a empresa deve estar alinhada, de forma a participar e contribuir com o sucesso operacional geral.

Colocar isso em prática, no entanto, envolve uma postura inteligente. É preciso, por exemplo, realizar a separação de funções dentro da estrutura do negócio. Seguindo pela lógica proposta pelo teórico Henry Mintzberg, pode-se dividir a empresa em 6 estruturas básicas:

1. Ápice estratégico

Formada pela alta liderança do negócio, que deve se encarregar de cumprir e fazer serem cumpridas as diretrizes organizacionais, como missão, visão e valores.

2. Linha intermediária

Formada por profissionais que fazem a ligação entre o ápice estratégico e o núcleo operacional.

3. Núcleo operacional

São as pessoas ligadas à produção em si, ou seja, são os responsáveis pela entrega do produto/serviço do negócio.

4. Tecnoestrutura

É a parte formada por quem dita as regras e os processos que a empresa deve seguir, mas sem ter nenhum tipo de vínculo direto. No caso dos laboratórios, pode ser a ANVISA, o INMETRO, a ANS etc.

5. Equipes de apoio

É o pessoal que não está diretamente vinculado ao core business da empresa mas realiza atividades adjacentes e que são fundamentais para que o objeto central do negócio seja desenvolvido.

6. Ideologia

Formado por indivíduos de qualquer um dos grupos citados, cuja função é fazer valer a ideologia do negócio, cumprindo as diretrizes fixadas pelo ápice estratégico.

Esse tipo de estrutura organizacional pode ser a chave para que cada processo seja devidamente desenvolvido, respeitando-se as metas e os objetivos propostos.

3. Analisar o papel de cada setor e definir indicadores que acompanhem seu desenvolvimento

Como reflexo do tópico anterior, é preciso que a empresa saiba também como avaliar a importância de cada setor para a concretização dos objetivos. Dessa forma, é muito mais fácil e produtivo priorizar investimentos e mudanças que vão repercutir com mais eficiência nos resultados do negócio.

Nesse sentido, vale também mencionar a relevância que a fixação de indicadores tem para o acompanhamento de cada setor do laboratório. Com as ferramentas certas, como softwares de gestão laboratorial e controle, é possível analisar o desempenho individual e geral do empreendimento, facilitando e melhorando a qualidade das intervenções feitas pelos líderes e gestores.

4. Acompanhar os resultados periodicamente

Por fim, tão importante quanto estabelecer os melhores indicadores e acompanhá-los é saber o que fazer com as informações obtidas a partir dessas análises. Afinal, as informações só se tornam estratégicas e relevantes quando o gestor sabe utilizá-las a favor da empresa.

Nesse sentido, é essencial acompanhar os resultados periodicamente, contrastando-os com os resultados obtidos nos meses, semestres e anos anteriores. Essa é uma das maneiras mais efetivas de entender o potencial do negócio e o seu verdadeiro desempenho. Vale também comparar os resultados levantados com dados do mercado como um todo, avaliando se a sua empresa está atuando em níveis competitivos.

Fica evidente, desse modo, que a gestão laboratorial estratégica laboratorial é uma ação que muito tem a contribuir para o sucesso geral do empreendimento. A junção dos conceitos da Administração com o uso estratégico dos dados e o apoio da tecnologia — a exemplo dos softwares especializados na gestão laboratorial — reforça sobremaneira a qualidade operacional da empresa, melhorando aspectos como a gestão de pessoas, o atendimento e os processos como um todo.

Gostou deste post? Quer saber mais sobre como melhorar a gestão laboratorial? Então confira este artigo sobre o painel de controle e fique por dentro do assunto!

Gostou do texto? Não gostou? Comente abaixo!

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Categorias: