Como otimizar o processo de sucessão familiar nas empresas?

Embora negligenciado ou pouco lembrado dentro das empresas familiares, o planejamento sucessório desponta como um dos mais importantes expedientes relacionados à estrutura societária do negócio. O processo de sucessão familiar, em grande medida, é o que garante a longevidade das atividades da organização, estabelecendo antecipadamente as diretrizes necessárias para a transição dos seus líderes ao longo dos anos.

Em resumo, o planejamento sucessório trata de organizar e definir os melhores caminhos para o crescimento do empreendimento, ao estabelecer as próximas pessoas a ocupar as posições de comando, sobretudo quando os fundadores não estão mais à frente dos negócios por questões familiares, ou mesmo pela morte.

Dito isso, fica claro a importância da desse planejamento. Por isso, pensando em ajudar, elaboramos este post contendo algumas dicas de como otimizar o processo de sucessão familiar nas empresas. Acompanhe!

Realize o planejamento com antecedência

Uma das formas mais simples e efetivas de se estabelecer um planejamento sucessório de qualidade é realizá-lo de forma antecipada. Isso porque assim é muito mais fácil considerar todas as variáveis envolvidas no processo e se chegar a uma conclusão mais assertiva quanto aos rumos do negócio, conciliando os interesses dos fundadores, sucessores e da própria empresa.

Deixar o planejamento sucessório em aberto, isto é, não o realizar, pode gerar grandes impactos na estrutura do empreendimento. Além do mais, na existência de mais de um sucessor, a falta desse planejamento pode acabar gerando atritos familiares e situações que exponham o negócio a riscos na sua continuidade.

Dessa forma, o ideal é que todo o processo seja feito com bastante calma, com o auxílio de pessoas especializadas e a partir de um diálogo entre os envolvidos, no qual todos tenham a oportunidade de opinar e contribuir para a decisão que melhor contemple os interesses da companhia.

Envolva o RH no processo

Em empresas familiares é muito comum que o RH seja bastante próximo das lideranças. Logo, também é muito comum que os membros do negócio estejam envolvidos nas decisões mais importantes. Essa noção também deve permanecer na hora de otimizar o processo de sucessão familiar.

A verdade é que o líder da empresa, seja o atual ou futuro, deve ter uma forte identificação com as equipes. É essa proximidade e boa relação que facilita o trabalho e garante uma gestão mais eficiente de RH.

No mesmo sentido, os colaboradores também devem visualizar na pessoa que ocupa o posto mais alto da empresa muito mais do que um simples chefe, que dita as ordens e fiscaliza o trabalho. Mais do que isso, é preciso que essa figura seja um verdadeiro líder, que inspira e motiva a todos.

Por essa razão, é muito importante envolver os colaboradores no processo de sucessão. Afinal, o RH é um dos braços da organização mais afetado pela mudança de comando.

Analise racionalmente o perfil dos familiares

Outra medida elementar para o processo de sucessão da empresa é a correta avaliação dos perfis dos familiares que podem ocupar o comando das atividades.

Em regra, o que se espera é que a definição dos sucessores seja feita com base em critérios racionais, ou seja, que se busque considerar o perfil e as habilidades dos familiares no que se refere à condução dos negócios.

Um dos erros mais graves cometidos por empresas familiares no momento da sucessão é motivar as decisões única e exclusivamente em critérios afetivos. Evidentemente, não há como afastar totalmente os vínculos familiares nessa hora, porém, o mais indicado é que o processo sucessório seja o mais racional possível, priorizando-se sempre os interesses do negócio e a sua continuidade.

Invista em treinamentos

Pode-se dizer que o planejamento sucessório, por seu caráter de antecipação e preocupação com os rumos da empresa, é uma medida preventiva. Dessa forma, é preciso que as lideranças da empresa já ajam antecipadamente, preparando os sucessores para a futura assunção do comando.

Nesse sentido, investir em treinamentos e capacitações é uma estratégia bastante positiva. A partir deles, o fundador da empresa, como profundo conhecedor dos seus processos e de todas as suas nuances, pode repassar todo seu conhecimento e preparar melhor os sucessores para as futuras funções.

Além disso, esse programa de capacitação pode ser a base para que o sucessor desenvolva as competências necessárias para a condução da empresa, sejam elas relacionadas a questões técnicas e intelectuais ou mais voltadas para o lado humano, que também são indispensáveis em uma administração moderna.

Foque nas necessidades da empresa

Além dos pontos já destacados, vale também mencionar a importância que dar o foco correto no processo de sucessão tem para o destino da empresa. Mais uma vez, pontuamos a diferencial que se tem quando todo o planejamento é feito com base nos interesses da organização.

Em outras palavras, a empresa que deseja perpetuar suas atividades e ultrapassar gerações deve estar disposta a mudar e se adaptar aos padrões estabelecidos pelo mercado. Logo, nem sempre será possível conciliar os interesses pessoais dos líderes, sobretudo quando há um forte tradicionalismo na forma de guiar os negócios.

Nesse ponto, o planejamento sucessório é uma arma eficaz para a inovação da organização. A partir dessa ferramenta, o fundador pode definir o melhor momento para que a sucessão ocorra, por exemplo, ao julgar que o mercado e os processos da empresa demandam uma liderança mais alinhada com a modernidade e os hábitos de consumos dos clientes.

Busque apoio especializado

Diante de todo o exposto, fica claro que o planejamento sucessório é um processo sistemático e que demanda a observação de uma série fatores. Além disso, a sucessão familiar no contexto das empresas também possui desdobramentos jurídicos, os quais precisam ser observados para que tudo ocorra corretamente.

Dessa forma, a presença de profissionais especializados na execução desse planejamento é uma medida de precaução bastante recomendado. Além de garantir a que todo o processo se concretize corretamente, esse profissional pode auxiliar nas decisões dando trazendo uma visão mais técnica.

Por fim, como vimos, o processo de sucessão familiar tem um papel crucial na continuidade da empresa. Quando bem realizado, esse expediente tem o condão de preparar toda a estrutura da empresa para as mudanças, inclusive estabelecendo o momento ideal, garantindo assim uma transição eficiente e sem riscos de prejuízos para as atividades do empreendimento.

Gostou deste post? Quer seguir aprendendo mais? Aproveite para entender melhor sobre o papel da tecnologia na gestão eficiente do seu laboratório. Confira nosso post sobre o assunto!

Gostou do texto? Não gostou? Comente abaixo!

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Categorias: