Como montar um laboratório de análises clínicas?

Reflexo da mudança dos hábitos das pessoas e dos avanços das ciências médicas, o setor de serviços ligados à saúde está em plena ascensão. Hoje, montar um laboratório de análises clínicas, por exemplo, tornou-se uma excelente alternativa de investimento, dado o aquecimento do setor.

O fato é que, o acesso a serviços ambulatoriais e hospitalares se tornou mais simples, barato e eficiente com o surgimento de novas metodologias de tratamento e aprimoramento das já existentes. Outro ponto que contribuiu para a popularização dos serviços de saúde foi o aumento do poder econômico do brasileiro, que o permitiu dedicar mais do seu orçamento ao bem-estar e à qualidade de vida.

Nesse contexto, o número de pessoas que aderiram a planos de saúde e que estão mais atentas à sua saúde física e mental cresceu bastante nos últimos anos. Por essa razão, atualmente há uma grande demanda sobre as empresas que atuam na área, criando um mercado bastante promissor para quem deseja investir nele.

Se você está pensando em montar um laboratório de análises clínicas, mas ainda tem algumas dúvidas a respeito, neste artigo nos encarregaremos de responder alguns dos principais questionamentos que certamente o ajudarão nessa tarefa. Continue com a leitura e confira!

Como está o mercado laboratorial no país?

Antes de iniciar qualquer tipo de negócio, um cuidado em especial não deve ser negligenciado: o planejamento. A chave para o sucesso empresarial está na capacidade que o empreendedor possui para planejar suas ações e avaliar quais variáveis podem afetar o alcance dos seus objetivos.

Dito isso, se você pretende montar um laboratório de análises clínicas é imprescindível agir com o devido cuidado, com ações bem planejadas. No entanto, para que esse planejamento seja efetivo, é necessário que você conheça o mercado no qual pretende atuar.

Atualmente, o mercado de medicina diagnóstica está em plena ascensão no Brasil. Como dito, a mudança no estilo de vida das pessoas somada aos avanços da tecnologia e à melhoria nas condições econômicas do brasileiro têm contribuído para que a população se preocupe mais com a saúde e bem-estar.

O que se observa, atualmente, é que a medicina diagnóstica está mais acessível — diferentemente do que ocorria há alguns anos. A popularização dos planos de saúde, em grande medida, tem contribuído para o aumento na demanda dos serviços ambulatoriais. Para se ter ideia, em 2017, o número de beneficiários era de 47 milhões em todo o país, segundo dados da ANS (Agência Nacional de Saúde Suplementar).

Além dos números positivos do setor, o fato de a tecnologia avançar e os métodos de análise modernizarem faz com que os procedimentos se tornem menos onerosos, simplificados e passíveis de serem realizados por prestadores de diferentes portes e em diferentes localidades.

Em geral, essa mudança de panorama do setor tem feito com que a demanda sobre os serviços de saúde, sobretudo os de natureza complementar, como é o caso das análises clínicas, aumentasse bastante nos últimos anos, mesmo com a recessão que se instalou na economia.

É preciso pontuar ainda, que, hoje, a medicina diagnóstica tem um papel determinante no sucesso dos tratamentos, pois é o segmento responsável por fornecer uma série de informações imprescindíveis para a atuação médica e o correto tratamento de patologias e condições clínicas.

Portanto, fica evidente que o mercado de medicina diagnóstica é bastante promissor, de modo que empreender com um laboratório de análises clínicas pode trazer bons retornos. Porém, para aumentar a probabilidade de sucesso do seu empreendimento, confira, a seguir, quais são os pontos mais importantes a se atentar ao abrir esse tipo de negócio.

Quais são as exigências legais para abrir um laboratório de análises clínicas?

Dada a complexidade e rigor técnico envolvidos na rotina de operações de um laboratório, iniciar um negócio dessa natureza exige o cumprimento de uma série de exigências legais para operar em plena conformidade.

Esses critérios são utilizados para manter o controle sobre o setor, evitando o funcionamento de empresas que não cumprem com os padrões estabelecidos pelas regulamentações e não prestam serviços com o nível técnico necessário.

Nesse sentido, como dito, alguns cuidados prévios devem ser adotados antes de iniciar o negócio. A seguir listamos alguns deles:

Registro de empresa

Procedimento de praxe para a abertura de qualquer tipo de negócio, o registro do contrato social na Junta Comercial do estado e a inscrição no CNPJ (Cadastro Nacional de Pessoas Jurídicas) devem estar entre as primeiras iniciativas do empreendedor.

É a partir do cumprimento dessas duas formalidades que o negócio recebe seu enquadramento jurídico de empresa e pode ter acesso a todos os benefícios e deveres que essa condição implica.

Vale mencionar que devido ao caráter burocrático desse procedimento, recomenda-se buscar a orientação de um contador ou advogado para garantir a sua correta realização.

Obtenção dos alvarás

Outra etapa importante do processo de abertura de um laboratório é a obtenção do respectivo alvará de funcionamento expedido pelo município, assim como o alvará de licença sanitária, em respeito ao Código Sanitário.

Na esfera federal, a fiscalização fica a cargo da Agência Nacional de Vigilância Sanitária, já no âmbito estadual e municipal a responsabilidade é das Secretarias Estaduais e Municipais.

Obediência aos regulamentos específicos para o setor

Devido à natureza dos serviços prestados na área da saúde e as suas implicações para o bem-estar da coletividade, muitas são as regulamentações existentes para manter a segurança das atividades e a boa prestação de serviços aos usuários.

Nesse sentido, é de extrema importância que o empreendedor que pretende iniciar suas atividades nesse ramo esteja atento às leis, aos regulamentos e portarias que disciplinam todo tipo de atividade que envolva a prestação de serviços de saúde.

Sabendo da importância dessa medida, a seguir listamos alguns dos itens mais relevantes que você deve conhecer, a fim de que problemas não ocorram antes e durante as operações do seu laboratório. Vejamos:

Consulte as RDCs da Anvisa

Para se inteirar das parametrizações existentes sobre a atuação dos laboratórios é imprescindível ter conhecimento de algumas RDCs editadas pela Anvisa.

A exemplo, a RDC 302/2005, legislação sanitária de âmbito federal, tem como objetivo definir os requisitos básicos para o funcionamento dos laboratórios clínicos e postos de coleta laboratorial de natureza pública e privada que realizam atividades na área de análises clínicas, citologia e patologia clínica.

A meta principal dessa RDC é estabelecer um padrão de qualidade nos serviços, garantir a biossegurança e evitar ao máximo erros nos procedimentos e riscos de falsos laudos, além de outros problemas.

A RDC 302/05 traz uma vasta gama de instruções para a realização de procedimentos laboratoriais, desde a forma mais indicada para a coleta, armazenamento, esterilização, até pontuar a respeito da infraestrutura do laboratório, recursos humanos e muito mais.

Outra norma que vale a pena ter conhecimento é a RDC 50/2002, cujo teor traz um regulamento técnico para o planejamento, programação, elaboração e avaliação dos projetos físicos de estabelecimentos assistenciais de saúde, conforme consta do seu art. 1º.

Mais adiante você poderá entender melhor quais os requisitos básicos para a estrutura de um laboratório de análises clínicas, inclusive de acordo com as determinações da RDC 50/02

Como deve ser a estrutura de um laboratório?

Feitas algumas considerações a respeito da parte legal da abertura de um laboratório de análises, passamos agora a explicar de forma um pouco mais prática e direta como esse tipo de empreendimento deve ser montado. Continue a leitura e confira alguns fatores essenciais para o sucesso do negócio:

Localização

A localização é, sem dúvida, um dos principais requisitos para o bom funcionamento da empresa. Logo, definir de forma estratégica qual o ponto ideal para a instalação do laboratório tem impacto direto sobre o seu potencial operacional.

Para a definição da localização do empreendimento, é preciso considerar alguns itens. São eles:

  • densidade populacional: a depender do porte da cidade onde se pretende iniciar o negócio, é fundamental avaliar se as características do imóvel são compatíveis com a densidade populacional, de modo que comporte o seu público;
  • perfil dos consumidores locais:
  • concorrência;
  • facilidade de acesso;
  • visibilidade: como em qualquer tipo de negócio, a visibilidade é a chave para o aumento na demanda. Na fase inicial, por exemplo, esse é um fator chave para o crescimento;
  • posição estratégica: o ideal é que o estabelecimento esteja próximo a consultórios médicos, clínicas e hospitais, já que esse fator pode facilitar a captação de clientes.

Estrutura física necessária

Para o funcionamento de um laboratório de análises clínicas de médio porte, recomenda-se uma estrutura básica, com uma área aproximada de 140m², com a possibilidade de expansão conforme o crescimento do empreendimento.

Como já mencionado, a RDC nº 50/2002 da Anvisa é que tratou de estabelecer algumas regras para as instalações destinadas ao atendimento de apoio ao diagnóstico e terapia de patologia clínica, a título de exemplo a norma estabelece a área mínima dos seguintes ambientes:

  • sala para coleta de material: 3,6m²;
  • sala de preparo de reagentes: 3m²;
  • laboratório de hematologia, urinálise, imunologia, parasitologia, microbiologia, micologia, virologia, bioquímica e biologia molecular: 14m²;
  • sala de extração de ácidos nucleicos: 8,5m²;
  • sala de preparo de soluções: 9m².

Além dessas especificações, o laboratório ainda deve possuir uma estrutura de apoio, com áreas médias sugeridas da seguinte forma:

  • área para registro de pacientes e sala de espera: 24m²;
  • depósito de produtos de limpeza: 2m²;
  • sanitários para pacientes e acompanhantes: 10m²;
  • sanitário para funcionários: 5m²;
  • quarto de plantão;
  • sala de administração: 15m²;
  • sala de esterilização de materiais: 4m².

Exige-se, ainda, que o estabelecimento tenha suas paredes pintadas com tinta acrílica de tons claros, possua iluminação adequada e eficiente, priorizando-se a luz solar, assim como a climatização deve atender aos critérios de conforto e conformidade das amostras. No mais, ainda é preciso se atentar ao gerenciamento de resíduos, de modo que a estrutura do ambiente seja pensada no correto manuseio e descarte.

Equipamentos

A infraestrutura de um laboratório também depende da presença de uma série de equipamentos, móveis e utensílios indispensáveis aos serviços. Sem eles, dificilmente o negócio conseguirá operar de maneira eficiente e competitiva.

Por isso, a seguir listamos alguns dos equipamentos necessários para o bom funcionamento do seu empreendimento. Vejamos:

  • estantes, arquivos, armários, prateleiras e itens de organização;
  • autoclave;
  • estufa de esterilização;
  • agitador orbital;
  • destilador de água;
  • centrífuga clínica;
  • contador diferencial de células;
  • microscópio biológico binocular;
  • computadores;
  • impressora;
  • ar-condicionado.

Como contratar os profissionais adequados?

Seguindo com o nosso guia, passamos a falar agora de um ponto-chave para o sucesso de qualquer empreendimento: o fator humano. Esse quesito, quando se trata de um laboratório de análises clínicas, tem ainda mais relevância, já que a natureza técnica e a complexidade dos serviços prestados demandam profissionais especializados e preparados para lidar com esse tipo de trabalho.

Inicialmente, cumpre ressaltar que os profissionais habilitados para realizar as análises clínicas são:

  • farmacêuticos-bioquímicos;
  • bioquímicos;
  • biomédicos;
  • médicos patologistas;
  • entre outros com curso técnicos, desde que a qualificação esteja devidamente comprovada.

Na hora de contratar esses profissionais, é imprescindível avaliar toda a documentação que comprove a formação, registro em órgãos de classe e eventuais especializações. Isso porque é dever da empresa manter disponíveis registros de formação e qualificação dos seus colaboradores.

Além do mais, é também obrigação do laboratório providenciar para que todos os funcionários estejam devidamente vacinados, conforme a legislação em vigor e realizar os exames médicos de admissão, em conformidade com o PCMSO da NR-7 da Portaria TEM 3.214/78 e a lei nº 6.514/77.

Quanto à composição do quadro de funcionários, a recomendação é que para uma empresa de porte médio, haja pelo menos:

  • 01 responsável técnico: profissional de nível superior — biólogos, biomédicos, médicos patologistas clínicos e farmacêuticos-bioquímicos. O responsável técnico é quem supervisiona e responde pelo controle de qualidade dos procedimentos. Por isso, é fundamental a contratação de um profissional bem qualificado e experiente;
  • 02 técnicos de laboratório: profissional de nível técnico, responsável pela execução de tarefas na bancada de análises, sempre supervisionado e orientado por um profissional de nível superior. A contratação desse funcionário deve se pautar na qualidade técnica, conhecimento sobre os processos e facilidade em trabalhar sob supervisão constante;
  • 02 auxiliares de laboratório: esses são os responsáveis por realizar a coleta de materiais. O recomendado é que esses profissionais possuam qualificação específica na área e experiência na coleta e manuseio de amostras biológicas;
  • 02 atendentes: essa é uma das peças elementares para o sucesso do negócio. Afinal, um atendimento acolhedor e eficiente, além de fidelizar o paciente, ajuda a melhorar o fluxo de atendimento na recepção, evitando demora e insatisfação. Por isso, o atendente deve ter boa desenvoltura com o diálogo, ser paciente, humano, além de facilidade em trabalhar em ambientes informatizados.

Embora não estejam diretamente ligados ao core business do negócio, é válido mencionar a importância da contratação de profissionais de apoio, que cuidam da administração burocrática da empresa, manutenção do ambiente, sua limpeza e comodidade para funcionários e pacientes. São eles:

  • copeiros;
  • auxiliares de serviços gerais;
  • gerentes administrativos;
  • auxiliares administrativos.

Enquanto empreendedor, é crucial que você tenha consciência de que o laboratório precisará ter um gestor administrativo, que se encarregará das atividades negociais e de um responsável técnico que se responsabilizará perante os órgãos públicos por meio do TRT (Termo de Responsabilidade Técnica).

É possível, no entanto, que as duas funções sejam exercidas pela mesma pessoa, desde que detenha a formação de nível superior necessária, de acordo com as exigências legais

Dito tudo isso, abrimos um espaço para destacar a importância que um processo de contratação eficiente tem para ditar os rumos do laboratório.

Nessa hora, é imprescindível se atentar aos critérios certos de seleção, conciliando qualidade técnica com atributos pessoais, como respeito, humanidade e humildade, isso porque, em grande parte, os serviços ambulatoriais depende do contato com pessoas dos mais variados perfis. Logo, estar preparado para atendê-las adequadamente é essencial.

Quais as melhores práticas de gestão para laboratórios de análises clínicas

Caminhando para o fechamento do nosso artigo, não podemos deixar de mencionar algumas boas práticas de gestão laboratorial que ajudarão você na condução do negócio e no aprimoramento contínuo dos serviços ofertados ao público.

Sendo assim, a seguir listamos alguns dos pilares para um empreendimento de sucesso. Confira:

Atendimento aos clientes

O atendimento aos clientes é, de longe, um dos fatores que mais contribui para o crescimento da empresa. Atender com precisão, agilidade e respeito os destinatários dos serviços do laboratório é, hoje, uma verdadeira obrigação para qualquer empresa que busca o sucesso.

Dessa forma, é fundamental que você sempre avalie a qualidade do atendimento, desde o momento que o paciente chega a recepção até a hora que ele recebe o seu resultado. Para isso, disponibilizar diferentes canais de contato, modernizar o atendimento e solucionar de forma ágil às demandas do usuário devem estar entre as metas do atendimento.

Em um mercado tão vasto e competitivo como o de medicina diagnóstica, prestar um atendimento eficiente pode se tornar um diferencial valioso para conquistar o seu espaço e consolidar no ramo.

Treinamento das equipes

Outro item de grande valia para impulsionar o seu empreendimento rumo ao sucesso é ter uma cultura de aprimoramento bem definida.

Pontuamos anteriormente a importância de se selecionar bons funcionários, avaliando capacidades técnicas e atributos pessoais. No entanto, esse cuidado não deve se restringir ao momento da contratação, já que o ideal é que todos os membros das equipes estejam em constante evolução.

A verdade é que a medicina diagnóstica, em razão dos avanços da tecnologia, se tornou uma área bastante dinâmica, na qual as inovações são frequentes. Logo, os profissionais que atuam no ramo precisam estar em constante atualização, se alinhando aos novos padrões, técnicas e equipamentos empregados nos mais diferentes procedimentos.

Sendo assim, incentive e invista no treinamento das equipes. Tenha uma política de recursos humanos baseada nesse importante pilar. Além de garantir a máxima qualidade operacional, contar com profissionais atualizados e bem preparados é um forte fator para aumentar a credibilidade do negócio.

Ferramentas de gestão

Na era da informação e digitalização dos serviços, uma empresa de ponta é aquela que apoia suas atividades nas mais diversas soluções de gestão, sobretudo as baseadas na automação.

Hoje, a dinâmica acelerada do mercado, somada a quantidade de atendimentos a que um laboratório é submetido, atuar de maneira informatizada é o único caminho para prestar serviços com a devida precisão, regularidade e agilidade.

Nesse contexto, as ferramentas de gestão, como os softwares para laboratórios, se tornaram itens indispensáveis dentro da rotina desse tipo de empreendimento. Esses recursos são a base para a otimização e execução de tarefas como:

Cultura de inovação

Resumindo grande parte dos pontos citados ao longo deste artigo, a cultura de inovação é o que, hoje, garante aos empreendimentos da área da saúde toda a eficiência e conformidade, seja em relação às exigências legais, ou aos critérios de qualidade desejáveis ao atendimento ao público.

Sendo assim, assumir uma postura de empresa inovadora, que busca a todo custo otimizar suas atividades a partir do uso de recursos tecnológicos, é um diferencial bastante valorizado no mercado.

A inovação dentro da empresa, além de reforçar a qualidade dos exames, é a base para o funcionamento integrado com outros profissionais e empresas, pois, por exemplo, viabiliza o firmamento de parcerias, com a troca de documentos e informações por meios digitais muitos mais seguros e ágeis, permitindo análises ainda mais qualificadas para os pacientes.

Além desse ponto, o quesito redução de custos desponta como um dos grandes benefícios da automação do ambiente laboratorial. A substituição de processos lentos, burocráticos e mais suscetíveis a erros e retrabalho por alternativas informatizadas, muito mais práticas, gerenciáveis e baratas, comprovam a afirmação.

Por fim, como foi possível perceber, montar um laboratório de análises clínicas não é um procedimento simples. Porém, seguindo todas essas dicas e, principalmente, observando as exigências trazidas pela legislação, certamente você não enfrentará nenhum tipo de problema nessa jornada. Esperamos que esse material tenha sido esclarecedor e ajude-o a iniciar o seu negócio com o pé direito.

Agora que você já sabe o melhor caminho para montar um laboratório de análises clínicas, não pare por aqui. Continue se informando e aprendendo mais sobre esse mercado. Assine nossa newsletter e receba os melhores conteúdos sobre o tema no seu e-mail!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *