O que é hematologia laboratorial?

O que é hematologia laboratorial?

Dentro da rotina de atividades de um laboratório de análises clínicas, a hematologia laboratorial representa uma das técnicas mais utilizadas. A hematologia, que pode ser entendida como o estudo e análise pormenorizado dos componentes do sangue, tem como princípio básico a identificação de eventuais alterações na composição sanguínea e as suas causas.

Inserida nos expedientes laboratoriais, a hematologia recebe o nome de hematologia laboratorial. Esse procedimento une as rotinas analíticas, os equipamentos, os profissionais especializados e os métodos de avaliação a toda a ciência por trás do sangue e seus componentes, com a finalidade de identificar diferentes tipos de patologias e condições clínicas que podem alterar a saúde do paciente.

Em razão da importância da hematologia laboratorial, neste artigo vamos aprofundar nesse tema e apresentar as principais vantagens que o procedimento traz para os pacientes do seu laboratório. Acompanhe!

O que é e como é realizada a hematologia laboratorial?

O que é e como é realizada a hematologia laboratorial?

Fizemos uma breve introdução sobre a hematologia laboratorial, porém, vale a pena saber um pouco mais sobre esse importante expediente analítico e, principalmente, como ele é desenvolvido.

A hematologia é um ramo da medicina cujo objetivo central de estudo é o sangue, além dos órgãos e tecidos que se relacionam com esse vital componente do corpo humano. Seus estudos e práticas são desenvolvidos por especialistas, chamados de hematologistas, que são profissionais responsáveis por avaliar e estudar as características do sangue e, com base nelas, indicar a presença de anomalias na estrutura sanguínea do paciente.

Entre as doenças mais comuns identificadas pelos procedimentos hematológicos, podemos citar:

  • anemias dos mais variados tipos;
  • policitemia, ou excesso de produção de glóbulos vermelhos;
  • leucemia;
  • hemoglobinopatias;
  • linfomas malignos;
  • mielofibrose.

Contudo, para que essas condições clínicas e patologias sejam identificadas com precisão, é indispensável a utilização de meios próprios de avaliação — hemograma —, equipamentos e de um ambiente ideal. É nesse ponto que a hematologia laboratorial se insere.

A hematologia laboratorial é o conjunto de rotinas analíticas voltadas à avaliação pormenorizada de todos os elementos do sangue. Como ocorre em outros exames e expedientes laboratoriais, a hematologia em questão segue uma rigorosa linha procedimental, composta por três fases:

  • pré-analítica: engloba todas as atividades que antecedem o ensaio laboratorial, isto é, as atividades realizadas antes da determinação analítica propriamente dita;
  • analítica: inicia com a validação do sistema analítico, envolvendo o controle de qualidade, e se finda com a geração de um resultado;
  • pós-analítica: tem seu início após a geração do resultado analítico — seja ele quantitativo ou qualitativo —, e se encerra com a entrega do laudo e a interpretação do resultado ao paciente.

O papel da tecnologia na hematologia laboratorial

Hoje, com o forte apelo tecnológico nas ciências médicas e suas rotinas auxiliares, a automação no setor de hematologia tem se tornado cada dia mais comum. Os analisadores hematológicos são exemplo disso. Graças a essa tecnologia, os custos dos exames, a intervenção humana e o tempo de resposta das análises diminuíram consideravelmente nos últimos anos.

Além disso, a precisão dos métodos automatizados é muito maior quando comparada às metodologias mais antigas e manuais utilizadas no passado. Desse modo, com apoio da tecnologia, os laboratórios podem realizar diversas análises típicas da hematologia laboratorial, tais como:

  • contagem total do número de glóbulos vermelhos, glóbulos brancos e plaquetas presentes na amostra;
  • película de sangue, procedimento em que uma amostra é depositada sobre uma lâmina de vidro e posteriormente são acrescentados corantes específicos que facilitam a visualização dos componentes sanguíneos a partir do microscópio;
  • avaliação de coloração;
  • avaliação de agranulocitose;
  • teste de sedimentação de eritrócitos;
  • função plaquetária no sangramento e coagulação;
  • teste de antiglobulina;
  • diascopia.

Quais são as principais vantagens da hematologia laboratorial para os pacientes?

Quais são as principais vantagens da hematologia laboratorial para os pacientes?

Como vimos, a hematologia laboratorial é a base para uma série de diagnósticos de patologias. Logo, fica evidente a grande importância que esse procedimento representa não só para a robustez e qualidade técnica do laboratório, mas principalmente para a saúde dos pacientes.

Nesse contexto, podemos listar como benefícios da hematologia laboratorial para os usuários:

Identificação de anemias

Os exames hematológicos estão entre os principais mecanismos de identificação de alterações na estrutura do sangue, entre elas as chamadas anemias.

Os diferentes tipos de anemia podem ser rapidamente diagnosticados por meio de hemogramas e avaliação dos índices hematimétricos que indicam a baixa produção de glóbulos vermelhos e a insuficiência de nutrientes no sangue, como é o caso do ferro.

Análise da imunidade

Outra grande vantagem trazida pela hematologia laboratorial é a análise detalhada da imunidade do paciente.

Como já citado, os exames hematológicos são precisos no diagnóstico de linfomas, ocasionados pela deficiência no sistema linfático, responsável pela produção das células de defesa do organismo.

A identificação precoce de alterações nesse sistema pode evitar a fragilização exagerada do organismo do paciente, expondo-o a problemas de saúde em razão da baixa imunidade.

Identificação de riscos de hemorragia

Dentro das análises realizadas na hematologia laboratorial, um importante componente do sangue também é alvo de avaliações: as plaquetas. Elas são imprescindíveis no processo de coagulação sanguínea, impedindo a ocorrência de hemorragias.

O baixo nível de plaquetas é um fator de risco para a ocorrência de sangramentos. Por isso, a avaliação da quantidade de plaquetas é essencial para identificar se o paciente tem algum tipo de predisposição a sofrer com hemorragias, por exemplo, em caso de ferimentos.

Identificação de infecções e possíveis anomalias

Vale destacar, ainda, que a hematologia laboratorial é um expediente de grande valia para a identificação de infecções no corpo humano.

Várias alterações hematológicas são observadas nos quadros infecciosos, dependendo do agente causador, da extensão e do local da infecção. As alterações observadas no hemograma quanto à composição e morfologia dos leucócitos são indicativas de perturbações causadas por agentes infecciosos, como ocorre em doenças como:

  • dengue;
  • febre amarela;
  • rubéola;
  • tuberculose.

Prevenção e tratamento precoce de doenças

Por fim, é importante destacar também o papel da hematologia laboratorial na prevenção e no apoio ao tratamento precoce de doenças.

As avaliações periódicas feitas pelo paciente, por exemplo, podem servir como forma de prevenir o surgimento e/ou agravamento de quadros clínicos, sobretudo em indivíduos detentores de algum fator de risco, como idade ou incidência de determinadas patologias na família.

Então, gostou deste post? Não pare por aqui. Confira também nosso artigo sobre como utilizar algoritmos para interpretar exames médicos!

Gostou do texto? Não gostou? Comente abaixo!

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Categorias: