O que os laboratórios de análises clínicas podem aprender com a covid-19?

O que os laboratórios de análises clínicas podem aprender com a covid-19?

A covid-19 é uma doença infecciosa de alta consequência, causada pelo novo coronavírus, que atinge principalmente o sistema respiratório dos seres humanos.  

A maioria dos casos, entre 80% e 85%, são considerados leves, ou seja, as pessoas contaminadas não necessitam de hospitalização e devem ser mantidas em isolamento domiciliar.

Mas, entre os casos mais graves e que necessitam de internações, cerca de 15% não precisam de terapia intensiva e em média 5% demandam o suporte máximo, ou seja, para que essas pessoas tenham a chance de vencer a doença, a ocupação de leitos de UTI se torna fundamental.

Em função da disseminação da doença em escala global, em março de 2020, a Organização Mundial da Saúde declarou a covid-19 como pandemia e recomendou o isolamento social como principal medida de controle e combate à doença.

Ao atingir pelo menos 185 países, a covid-19 trouxe consigo diversas consequências – não exclusivamente para a área da saúde, mas também para os setores econômicos e sociais.

Dado o contexto, os laboratórios de análises clínicas não permaneceram à margem da situação e também lidam com os impactos causados pela crise mundial.

Por isso, se quer saber mais sobre o que os laboratórios de análises clínicas podem aprender com a covid-19, confira o conteúdo que preparamos para você!

O que é a covid-19?

O que é a covid-19?

Como dissemos durante a introdução, a covid-19 é uma doença infecciosa causada pelo novo coronavírus (Sars-CoV-2). A doença foi detectada pela primeira vez na cidade de Wuhan, na China, e rapidamente se espalhou entre diversos países do mundo.

Geralmente, a disseminação da doença ocorre após contato próximo entre pessoas – sendo particularmente vulneráveis os profissionais da saúde que prestam assistência aos pacientes contaminados. 

Em surtos anteriores provocados por  outros tipos de coronavírus, como no caso da SARS (Síndrome Respiratória Aguda Grave) e da MERS (Síndrome do Oriente Médio) também foi observada a situação de vulnerabilidade dos profissionais da saúde, que representaram uma significativa parcela do número de pessoas infectadas.

Especificamente sobre a covid-19, apesar dos inúmeros avanços e de diversos estudos científicos estarem sendo produzidos simultaneamente em escala global, a maioria das questões sobre a doença ainda não têm respostas. 

O vírus é novo e as diversas informações sobre a pandemia e sobre a doença ainda estão sendo consolidadas de forma dinâmica. Governos e instituições do mundo todo diariamente se atualizam e tomam medidas conforme as análises feitas com base em novas informações.

Evidentemente, nós, tanto profissionalmente quanto em âmbito pessoal, precisamos também nos atualizar a fim de buscar os melhores caminhos e as alternativas mais acertadas para lidar com esta pandemia e com a crise provocada pela mesma.

Desta forma, é notória a necessidade dos esforços colaborativos entre os profissionais da área da saúde para identificar, isolar e conter a covid-19, ou seja, para o enfrentamento da doença. 

Quais são os sintomas da covid-19?

Geralmente os sintomas são leves e começam gradualmente e, como dissemos anteriormente, a maioria das pessoas infectadas apresentam apenas sintomas muito leves (entre 80 e 85%). Além disso, a maioria das pessoas infectadas se recupera da doença sem precisar de tratamento hospitalar.

Os sintomas mais comuns da covid-19 são:

  • Tosse seca
  • Cansasso
  • Febre

Alguns pacientes apresentam também:

  • Dores pelo corpo
  • Congestão nasal
  • Coriza
  • Diarréia

Os sintomas mais graves da covid-19 são:

  • Falta de ar
  • Dificuldade para respirar

E outros sintomas são considerados menos comuns, como:

  •  A dor de garganta
  • Os calafrios permanentes
  • A perda recente de olfato ou paladar


É importante ressaltar que as pessoas idosas ou que apresentam comorbidades ou problemas subjacentes, como pressão alta, problemas cardíacos, problemas pulmonares, diabetes, câncer, entre outras doenças, têm maior risco de desenvolver casos mais graves.

No entanto, já é sabido que qualquer pessoa pode ser infectada pela covid-19 e ficar gravemente doente.

Além disso, mesmo pessoas com sintomas muito leves da covid-19 podem transmitir o vírus e qualquer pessoa, de qualquer idade, que apresentar tosse, febre e dificuldade de respirar deve procurar pelo atendimento médico.

Como evitar a disseminação da covid-19?

Conforme dissemos anteriormente, e de acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS), o isolamento social é fundamental para evitar a disseminação da covid-19 e a propagação do novo coronavírus.

Mas, além disso, cuidados individuais e básicos de higiene podem impedir que o novo coronavírus se espalhe ainda mais. Por isso, confira abaixo algumas recomendações:

  • Evite levar as mãos aos olhos, nariz e boca
  • Utilize máscaras de proteção, mesmo que caseiras
  • Higienize as mãos com álcool 70% com frequência
  • Lave bem as mãos com água corrente e bastante sabão
  • Se não puder se isolar, evite aglomerações e reduza ao contato social
  • Utilize água sanitária para as limpezas domésticas, especialmente de superfícies
  • Higienize itens utilizados frequentemente, como celulares, brinquedos, maçanetas e corrimões

Crise mundial causada pela covid-19

Crise mundial causada pela covid-19

Desde que o grande surto da covid-19 levou a Organização Mundial da Saúde a classificar a doença como pandemia, uma grande corrida mundial em busca de metodologias diagnósticas e tratamentos mais eficazes foi iniciada. 

A rápida disseminação do novo coronavírus e a falta de estrutura hospitalar suficiente para o tratamento dos casos graves da doença levaram líderes dos mais diversos países afetados a tomarem medidas extremas, como o isolamento social, o fechamento de fronteiras e até mesmo a decretação de estado de calamidade pública.

Tudo isso vêm causando sérios impactos ao setor da saúde e aos âmbitos políticos, econômicos e sociais da população mundial. Países menos desenvolvidos, como o Brasil, lidam diariamente com a dinâmica dos resultados negativos causados pela pandemia do da covid-19.

Apesar de ser apontada por especialistas como a pior crise historicamente já enfrentada, ainda não há como calcular as consequências devido a imprevisibilidade do atual cenário.

Diante deste contexto, o que os laboratórios de análises clínicas podem aprender com a covid-19? Assim como os especialistas das mais diversas áreas afirmam, poucas conclusões podem ser definidas. Porém, algumas lições certamente já podem ser consideradas. Saiba mais a seguir!

O que os laboratórios de análises clínicas podem aprender com a covid-19?

O que os laboratórios de análises clínicas podem aprender com a covid-19?

Diante da crise mundial causada pela covid-19, os laboratórios de análises clínicas precisam fazer tomadas de decisões constantes durante o enfrentamento da doença. 

Para isso, além de fortalecer o diagnóstico laboratorial, otimizar a vigilância virológica por meio de métodos padronizados para a biossegurança, a coleta, o acondicionamento, o transporte e as metodologias diagnósticas, o que mais pode ser feito?

De forma geral, os laboratórios de análises clínicas são responsáveis por 95% das condutas médicas e se tratando da covid-19, o laboratório de análises clínicas é responsável pela comprovação etiológica. Diante deste cenário, ainda cheio de incertezas, quais são as primeiras lições que podemos – e devemos – absorver sobre tudo isso?

Valorização dos processos

A padronização dos processos sempre foi muito importante para as empresas de todas e quaisquer áreas. Isso porque os processos são uma forma de garantir a melhor execução de um trabalho.

Criar e seguir processos serve para ter a repetibilidade e previsibilidade dos resultados. Desta forma, é possível assegurar um serviço de alta qualidade gastando menos tempo e menos recursos financeiros.

O planejamento e a execução de processos em todos os setores do laboratório de análises clínicas é, mais do nunca, uma importante estratégia para lidar com as adversidades relacionadas ao enfrentamento da covid-19.

E, certamente, para que a saúde do seu laboratório seja mantida ao final desta jornada será preciso manter a cultura de valorização dos processos em sua instituição.

A importância da adaptabilidade

De forma geral, praticar a adaptabilidade estimula o raciocínio, amplia a nossa capacidade de tomar as melhores decisões e nos torna mais resiliente diante dos problemas.

Desenvolver a adaptabilidade durante o enfrentamento da crise causada pela pandemia da covid-19 é essencial para que os caminhos tomados nos levem ao melhor cenário possível ao final desta jornada.

Tudo isso, pode ser considerado tanto para o âmbito pessoal de nossas vidas, como para o âmbito profissional. Sendo assim, ao falarmos sobre a melhor gestão para laboratórios de análises clínicas, não seria diferente.

Como dissemos anteriormente, as consequências desta crise vêm impactando a humanidade de diferentes formas. E neste cenário, a adaptabilidade é fundamental agora e certamente continuará sendo uma característica exigida após o fim desta batalha específica.

A importância da tecnologia para o setor laboratorial

Além dos inúmeros benefícios relacionados a acessibilidade e agilidade das rotinas por meio da integração de informações e processos nos laboratórios de análises clínicas, através da tecnologia é possível alcançar segurança, precisão e confiabilidade à gestão das atividades laboratoriais – em seus diferentes setores.

A área da saúde já vinha passando por transformações significativas provocadas pelo avanço da tecnologia, mas, após a pandemia causada pela covid-19, o que já era tendência, hoje se tornou uma necessidade.

Os laboratórios de análises clínicas já percebem que não há mais espaço para o negacionismo tecnológico e que para continuar operando com sucesso daqui para frente, a automação laboratorial precisa ser implementada.

Junto à equipe, as ferramentas e soluções tecnológicas cumprem o importante papel de garantir a eficiência e a qualidade às atividades e processos de análises clínicas.

Dado o contexto, podemos citar algumas das vantagens mais relevantes:

  • Melhor manejo de informações e de dados
  • Maior integração entre as diferentes áreas do laboratório de análises clínicas
  • Facilidade na elaboração de relatórios, laudos e pareceres
  • Otimização dos processos
  • Controle automático de planos de amostragem e registro de amostras
  • Gestão de estoque mais eficiente
  • Adequação às normas do setor laboratorial
  • Relatórios completos que auxiliam na tomada de decisão sobre as diversas áreas laboratoriais
  • Entre muitas outras

A implementação de tecnologias eficientes ou a falta dela, certamente será um dos fatores à garantir o sucesso ou fracasso do seu laboratório de análises clínicas.

O comportamento das pessoas está se transformando junto ao enfrentamento da pandemia causada pela covid-19 e a tecnologia passou a ser mais que um diferencial e se tornou fundamental para manter diversos tipos de negócios sustentáveis, inclusive os laboratórios de análises clínicas.

Por isso, se você ainda não iniciou o seu processo de automação laboratorial, saiba que ainda há tempo! 

Pesquise e busque pelas melhores e mais confiáveis soluções tecnológicas para o seu laboratório de análises clínicas. Sem dúvidas a tecnologia será uma das suas maiores aliadas durante e após o enfrentamento da crise causada pelo novo coronavírus.

Gostou de saber mais sobre o que os laboratórios de análises clínicas podem aprender com a covid-19? Então não deixe de conferir o nosso webinar sobre gerenciamento de riscos e gestão de crises em laboratórios de análises clínicas!

Gostou do texto? Não gostou? Comente abaixo!

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Categorias: